Arquivo da categoria: Minimalista

Um ótimo monstro

Eu jamais serei tão bom quanto vocês, afinal, eu sempre terei meu pé na escuridão e essa mancha no meu passado. Mas quer saber? Vocês também jamais serão tão bons quanto eu. Não verão as coisas como eu vejo, nem serão capaz do que eu sou capaz, de se entregar por completo a um ideal no qual ninguém mais acredita. Fazer o que ninguém mais faz.
Vocês são um bom par de Príncipe e Princesa. Eu sou um ótimo monstro.


Simples assim

– Então você me pertence – Perguntei
– Sim – Ela respondeu, simples.
Cocei a barba, ponderando a situação até que consegui formular uma pergunta mais complexa
– Você tem consciência de que se eu acreditar em você, e você me ferir, vai me machucar como ninguém machucou outra pessoa na história das pessoas feridas?
– Tenho, completamente – Permaneceu enfática
Não havia muito mais o que fazer. Ela tinha aquele brilho no olhar, que só as pessoas apaixonadas possuem, e apesar de eu saber que ia doer, eu acreditei nela.
Na pior das hipoteses, renderia uma bela poesia, pensei.


Banho

Eu saio puro de um banho bem tomado. Iluminado, limpo, novo. Porém, ao me enxugar com a toalha da realidade, me preparando para voltar ao mundo, me sujo e me inundo de suor e ranho de outras pessoas que usaram também essa já desgastada toalha, perco todo o frescor e volto a ser o que eu era antes: humano, imperfeito e impuro.


No fim…

Estamos todos sozinhos, sempre.


Cachoeira

E diante daquela enorme cachoeira, fazendo aquele barulho infernal, eu virei de costas e boiei no lago. Engraçado a sensação que se tem quando se boia assim, tanta paz, tanta calma. O barulho sumiu dando lugar à espampidos surdos e distantes e era como se a realidade fosse uma coisa distante que eu deixei do lado de fora daquele momento. Como um luxo ao qual eu não me dava.
A água, me envolvia como a mãe que sempre fora e se era fria no primeiro mergulho, agora era morna e terna, apesar de continuar a mesma temperatura. Eu poderia me afundar ali, naquela fenda entre o mundo natural e o resto do mundo que urgia tentando me tragar de volta, eu poderia serenamente me afundar ao som desesperado da realidade que não gostava de ser deixada de fora. Gosto de pensar que esse momento terminou assim, como o fim de uma história curta, e o que vem depois não interessa.


Perfume

Seu cheiro é tão bom, ela disse
É o perfume, ele respondeu.
Não, mas tem alguma coisa sua nele.

E o mundo dos cheiros nunca mais foi o mesmo pra nenhum dos dois.

.

.

.

Roubei a frase da minha namorada e coloquei ela numa situação mais poética. Mas o crédito é todo dela. ^^


Tragédias

É disso que me faço: de tragédias.